BLOG

..

Cintilografia mamária com MIBI-Tc-99m

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. Também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. É o tipo que possui as maiores incidência e mortalidade na população feminina em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Para 2018, são projetados 59.700 novos casos de câncer de mama no Brasil. A cintilografia mamária com Sestamibi-Tc-99m tem um papel importante nas patologias malignas da mama, como um método de avaliação complementar ou de diagnóstico diferencial em casos específicos e não como um método de triagem ou identificação de lesões malignas em seu estágio inicial. Também é usada na diferenciação de lesões mamárias palpáveis em mamas densas, assim como de lesões cicatriciais e recidiva tumoral em pacientes já operadas. A sensibilidade para lesões palpáveis da mama é em média de 90 a 95% e a especificidade em torno de 85%. Estes valores são reduzidos nos casos de lesões não palpáveis, com sensibilidade e especificidade de 72% e 80% respectivamente. Entre as vantagens do método, está a possibilidade de detecção de lesões em pacientes portadoras de prótese mamária, assim como avaliar a existência de tumores multicêntricos, comprometimento axilar e identificação de pacientes possivelmente multidroga-resistentes nas indicações de quimioterapia neoadjuvante.

Além do tamanho do tumor, o tipo histológico tem um papel vital na sensibilidade do método. Maior sensibilidade na detecção dos carcinomas ductais, em relação aos tubulares ou mucinosos, devido a uma menor celularidade e índice mais baixo de crescimento. O mecanismo exato pelo qual o MIBI se concentra nos tumores ainda não é completamente esclarecido. Ele se distribui nos tecidos em função do fluxo sanguíneo e penetra nas células por difusão passiva. Devido à diferença de potencial através da membrana celular, o MIBI se liga às mitocôndrias, especialmente em células malignas, que possuem um potencial negativo mais elevado. Portanto, logo após a injeção, ele se direciona para os tumores devido ao seu maior fluxo sanguíneo quando comparados aos tecidos normais, e também por possuírem maiores atividade metabólica e concentração de mitocôndrias.