BLOG

..

PET/CT com 18F-fluoroestradiol no Diagnóstico de Câncer de Mama

Por Dra. Alice F. Viana

O câncer de mama é o câncer não dermatológico mais comum e a segunda principal causa de morte por câncer em mulheres. Para o ano de 2020 o Instituto Nacional do Câncer prevê 66 mil novos casos. Segundo o Instituto, o número de mortes por ano é em média 16.927, sendo 16.724 mulheres e 203 homens.

Há vários tipos de câncer de mama, 70 a 75% expressam receptores de estrógeno (RE). Para os tumores hormônio positivo, a terapia dirigida a RE é considerada um fator crucial na diminuição da taxa de mortalidade por câncer de mama. Esses medicamentos têm como função impedir o estímulo tumoral através da interação receptores-estrogênios circulantes. No entanto, esse tipo de terapia pode apresentar falhas por vários fatores como:  os receptores serem detectados através de análise patológica podem não ser funcionais e não conseguir se ligar efetivamente aos bloqueadores; a expressão do RE pode mudar ao longo do tempo na mesma paciente, causada pela perda genética ou epigenética do receptor, e desdiferenciação tumoral.

A partir da década de 1980, foram desenvolvidos radiomarcadores para melhor caracterizar a biologia do tumor, incluindo o 18F-fluoroestradiol (18F-FES). O 18F-FES tem como alvo o RE, permitindo imagens in vivo de tecidos que expressam o receptor. Além disso, o 18F-FES tem o potencial de avaliar a heterogeneidade na expressão do RE e identificar locais que perderam a expressão ou a funcionalidade do RE. Vários estudos mostraram que a detecção de lesões positivas para RE em exames de PET com 18F-FES é confiável e que a captação de 18F-FES se correlaciona bem com os resultados de imuno-histoquímica em biópsias.

A) Estradiol endógeno. B) 18F-flour-estradiol

Atualmente, existem discussões na Europa e nos EUA sobre a aprovação regulatória para o 18F-FES com base em estudos publicados e na acumulação de dados de estudos multicêntricos prospectivos. Pensando em termos de saúde pública brasileira, os tratamentos para câncer de mama são cobertos pelos planos de saúde e pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A disponibilidade do diagnóstico de PET com 18F-FES irá melhorar a terapia para câncer de mama, sendo possível se detectar pacientes que realmente irão responder ao tratamento hormonal.

Referências

Grabher BJ Breast Cancer: Evaluating Tumor Estrogen Receptor Status with Molecular Imaging to Increase Response to Therapy and Improve Patient Outcomes. J Nucl Med Technol. 48(3):191-201. 2020

Katzenellenbogen JA. The quest for improving the management of breast cancer by functional imaging: The discovery and development of 16α-[18F]fluoroestradiol (FES), a PET radiotracer for the estrogen receptor, a historical review. Nucl Med Biol. 22: S0969-8051(20)30028-7. 2020.

Linden HM, Peterson LM, Fowler AM. Clinical Potential of Estrogen and Progesterone Receptor Imaging. PET Clin. 13(3):415-422. 2018.

Salvatore B, Caprio MG, Hill BS, Sarnella A, Roviello GN, Zannetti A. Recent Advances in Nuclear Imaging of Receptor Expression to Guide Targeted Therapies in Breast Cancer. Cancers (Basel). 22;11(10):1614. 2019

Câncer de Mama. INCA, 2020. Disponível em: <https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-mama Acesso em: out. de 2020.